Como se proteger adequadamente de ataques ao ambiente de impressão

Hoje o cenário de automação digital e online ganha cada vez mais espaço. Portanto, cresce também a preocupação com a segurança de dados e prevenção de ataques virtuais, e hoje nós daremos dicas sobre tipos de ataques que não são tão comuns, passam por muitos desapercebidos, e podem gerar sérios danos.

 

Ataques em ambientes de impressão


Quando pensamos em proteção de ataques virtuais, muitos não levam em consideração os equipamentos multifuncionais de impressão. Isso porque essas pessoas identificam os equipamentos multifuncionais apenas como meras impressoras, portanto, não veem o perigo que pode oferecer caso haja uma invasão. Esses equipamentos são alvos fáceis para hackers, principalmente por não estarem inclusos nos planos de segurança. Veja abaixo alguns dos perigos que os ataques podem oferecer:

  • Acesso malicioso através de redes
  • A manipulação e alteração de informações através da rede
  • As informações são filtradas da mídia de armazenamento do HD
  • Acesso não autorizado através do painel de operação de um dispositivo
  • Acesso inadequado através de linhas telefônicas de fax
  • Vazamentos de informações através de uma cópia impressa
  • Violações da política de segurança devido a descuido

Uma opção para se resguardar desses tipos de ataques são os serviços que os profissionais da Ricoh oferecem. Com os programas de Governança, Risco e Conformidade e Serviços de Segurança Gerenciados é possível fazer uma avaliação do ciclo de vida dos dados e gestão de riscos. Prevenindo assim ameaças avançadas à rede.

 

Ataques móveis


O acesso através do dispositivo móvel é algo muito bom que ajuda na produtividade do escritório, permitindo acesso remoto. Se por um lado ajuda bastante com a mobilidade de informações e acesso por outro aumenta as vulnerabilidades que escapam do controle da TI:

  • Trazer seu próprio dispositivo (BYOD), ou dispositivos de propriedade do usuário, pode ser mais difícil para os departamentos de TI protegerem-se contra ameaças como roubo físico e infecção por vírus e malware por e-mail, Web e outras aplicações.
  • O Wi-Fi público oferece "oportunidades" para não-conformidade, variando de pontos de acesso desonestos (impostores) que podem interceptar conexões de usuários a "rastreamento de pacotes", ou seja, espionar o tráfego de usuários desprotegidos ou com proteção insuficiente

 

Ataques através de unidades USB infectadas

Unidades de USB, conhecidas também como pen-drive, se tornaram muito populares. Com uma grande capacidade de armazenamento é possível sua utilização para reservas de arquivos corporativos. Porém o que muitos não sabem é que é possível um dispositivo desse podem estar infectados com malwares. De acordo com Roger Grimes, da InfoWorld, o firmware "BadUSB" é um excelente exemplo disso. "O código malicioso é plantado no firmware do USB, que é executado quando o dispositivo está conectado a um host", escreve Grimes. "O host não pode detectar o código do firmware, mas o código do firmware pode interagir e modificar o software no computador host."

Na prática o que podemos fazer para permitir que se utilize as unidades de USB com segurança é nos prevenirmos, se ficar com dúvida o melhor é não utilizar, de acordo com Henderson. “Existem alguns ataques a unidades USB que podem corromper até os aplicativos de antivírus mais poderosos”. O melhor a se fazer é ir diretamente a fonte: o site da empresa. E assim realizar os downloads das informações que necessita, ou contatá-los para obter esses arquivos diretamente.

O que os departamentos de TI podem fazer?

  • Usar o gerenciamento de dispositivos móveis (MDM), de propriedade da empresa ou de funcionários.
  • Usar ferramentas e serviços para garantir que os funcionários se conectem apenas a pontos de acesso autorizados, e não "desonestos", vão para os destinos corretos e usem VPN e outra criptografia para todas as conexões e tráfego.
  • Ajudar a garantir que todos os dispositivos móveis rodem o software de segurança e usem configurações e precauções de segurança fortes.

 

Concluindo: os ataques cibernéticos são uma realidade que temos que lidar, principalmente na área empresarial, pois pode gerar grandes danos. A prevenção - e prestar mais atenção em áreas que passam “desapercebidas” -  é imprescindível. As plataformas da Ricoh usam sistemas operacionais que impedem tentativas de alteração, mas é preciso controle dos processos criptografando dados em trânsito para melhor proteção.