Afinal, existe a "Internet das Impressoras"?

Atualmente existe muita discussão sobre a “Internet das Coisas” (IoT Internet of Things) e o consenso é que, a longo prazo, isso mudará o jogo em muitos setores, em especial em áreas de negócios de grande impacto.

A questão é: isso também se aplicará as impressoras?

O que acontecerá quando substituímos a palavra "Coisas" pela palavra "Impressoras" e aplicar os conceitos que estão sendo definidos como padrões da Internet das Coisas nos negócios de impressoras? A Internet das impressoras faz algum sentido do ponto de vista comercial? Qual tecnologia é necessária e qual está  disponível? Quem se beneficiará com isso?

Como definição “A Internet das Coisas ( IoT ) é a rede de objetos físicos que contêm tecnologia incorporada para se comunicar, sentir ou interagir com seus estados internos ou o ambiente externo” (Gartner Group)

As implicações desse paradigma podem ser muito diferentes, dependendo de que tipo de “coisas” olhamos. Se aplicarmos o conceito de IoT a um processo de negócios, provavelmente veremos grandes melhorias e benefícios tangíveis. Isso ocorre porque, em um ambiente baseado em IoT, a interação humana, a perda de tempo e o alto custo são reduzidos a quase nada.

Aqui está o ponto chave. A IoT é uma excelente oportunidade para melhorar os processos de negócios, pois permite a interação máquina-a-máquina, a transição de um processo manual, humano, lento e propenso a erros para um automático de M2M (machine-to-machine), que pode transformar um problema oneroso em uma solução lucrativa.

E as impressoras?

As impressoras são boas candidatas a IoT, por vários motivos:

Elas consomem muito – Pensamos logo em toners, energia e papel, pois esses custos representam muitas vezes a mais que o custo do próprio dispositivo. Alguém paga por eles e, portanto, há muito espaço para melhorias do processo e redução de custo.

Elas desperdiçam muito - Uma parte significativa do consumo de toner e papel de uma impressora é desperdiçada, por muitas causas possíveis, a maioria das quais está fora de controle.

Elas precisam de muita manutenção – Uma organização pode usar um servidor por muitos anos sem nunca abri-lo, nem pedir visita técnica. Porém, uma impressora precisa de um fluxo contínuo de substituições de consumíveis e atividades de serviço frequentes, e quanto mais você imprime, maiores serão os cuidados.

Elas estão cheias de sensores - Uma impressora moderna é capaz de informar quanto possui de toner, onde exatamente o papel está preso, quantas folhas foram impressas para cada formato de papel e muito mais informações. 

Elas estão conectadas - Todas as impressoras comerciais têm uma porta de rede e a maioria está conectada a uma rede habilitada para Internet, portanto existem centenas de milhões de dispositivos de impressão em todo o mundo, já conectados à Internet e prontos para a IoT.

Conclusão: As impressoras são perfeitas para a interação M2M , pois podem agregar valor por meio de controle e automação, mais do que outras muitas outras "coisas".