Afinal, existe a "Internet das Impressoras"? – Parte 2

As impressoras de rede usam um protocolo de software comum, chamado SNMP (Simple Network Management Protocol), que permite fazer "perguntas" com base em um idioma padrão. O SNMP é um protocolo padrão em termos gerais, mas todo fabricante de impressoras adota um dialeto específico (os “MIBs privados”), dificultando a vida dos desenvolvedores de software de monitoramento.

A primeira tecnologia necessária é um software de coleta de dados capaz de consultar impressoras de todas as marcas e modelos possíveis e obter respostas consistentes, corretas e detalhadas provenientes de seus sensores.

Em seguida, você precisa de uma plataforma para coletar, limpar e normalizar esses dados, armazená-los e disponibilizá-los para processos de negócios. Talvez você possa armazenar todos os dados localmente em seus próprios servidores, mas se planeja coletar dados de muitos milhares (ou milhões) de dispositivos, uma abordagem muito mais segura é contar com um serviço de nuvem para garantir escalabilidade, disponibilidade e segurança.

Por último, mas não menos importante, você provavelmente gosta da ideia de usar os dados da impressora em seus próprios aplicativos. Em qualquer ambiente de IoT, a palavra mágica é API - Application Program Interfaces, um conjunto de chamadas padrão que permitem que seu software interaja diretamente com o banco de dados na nuvem e, finalmente, com as impressoras. Usando APIs, seu aplicativo pode acessar dados provenientes de impressoras (não importa quantos milhares sejam), da maneira mais fácil e imediata, tanto para o usuário quanto para o desenvolvedor.

Esses três elementos (coleta de dados, banco de dados em nuvem e APIs) são necessários para habilitar a Internet das impressoras.

Quem pode se beneficiar da Internet das impressoras?

  • Os clientes podem ficar aliviados dos problemas relacionados à compra de consumíveis e podem se beneficiar de menos desperdício de consumíveis, melhor manutenção e suporte, melhor utilização de recursos, maior controle sobre o uso e gerenciamento de ativos.
  • Fornecedores e fabricantes podem se beneficiar com a melhoria de processos, a redução de custos, a manter os clientes mais felizes e mais fiéis, enquanto obtêm grandes quantidades de dados sobre o uso das impressoras, nas quais eles podem executar análises e previsões, para melhorar seus modelos de negócios e desenvolver estratégias mais direcionadas.
  • Em última análise, o ambiente pode se beneficiar de evitar desperdícios e reduzir o consumo de substâncias poluentes, como toners, ou desperdício desnecessário de papel. Além disso, o impacto no consumo de papel pode ser compensado com a promoção do reflorestamento baseado no consumo de papel, pois o sistema pode calcular periodicamente a quantidade de árvores necessárias para a compensação ambiental. 

O objetivo de usarmos, de modo provocativo, a expressão “Internet das Impressoras” para comparar com a “Internet das Coisas” foi demonstrar que os conceitos e paradigmas dessa última já estão presentes e sendo praticados no ambiente de impressão corporativa.

A ADVEN TECNOLOGIA possui diversos contratos e clientes que utilizam os mais modernos conceitos de monitoramento, contabilização e gestão de ocorrências, e acredita firmemente que uma estratégia clara de alavancar a IoT em impressoras - direcionada à melhoria de processos e redução de custos - levará todas as partes interessadas ao sucesso, com significativas melhorias da satisfação do cliente, da produtividade das equipes e da pegada ambiental.